Skip to main content

Se ao longo dos últimos anos, o faturamento das vendas online já vinha crescendo, com a pandemia, ele deu um salto. O aumento de 56,8%, em 2020, segundo análise da Abcomm, só mostrou o potencial desse segmento. Bons resultados, no entanto, só chegam a quem toma o caminho certo. Isso exige uma eficiente gestão de e-commerce, envolvendo todas as etapas necessárias.

Por isso, engana-se, quem pensa que vender online promete rendimentos fáceis. Não basta ter alguma presença digital. Assim como em uma loja física, na virtual, é necessário ter organização e saber compartilhar atribuições. 

“Por exemplo, um atendente pode dar conta de fazer tudo sozinho: organizar vitrine, cuidar do caixa, fazer reposição. No entanto, se a loja estiver movimentada e precisar atender um cliente, ele deixará uma atividade de lado. O e-commerce segue uma lógica semelhante”, explica Rafael Augusto Carlos, gerente de Atendimento da Tray Corp.

No artigo, explicaremos os principais pontos para uma boa gestão de e-commerce. Continue a leitura!

Qual a importância da gestão de e-commerce?

Todo empreendimento necessita de administração. Um e-commerce não é diferente. É a partir dessa prática que se colhe os frutos, conseguindo aumentar vendas e tornar o negócio escalável.

A gestão também abrange a otimização, ou seja, há a oportunidade de aprender continuamente e melhorar os processos. “Com uma boa gestão de e-commerce, é possível minimizar custos e maximizar resultados, inclusive, com benefícios imediatos”, observa Rafael.

Afinal, como fazer uma gestão eficiente?

O crescimento do e-commerce é evidente, como demonstram os dados apresentados na introdução. Mas para obter esse mesmo resultado e conseguir o sonhado lucro, é fundamental ter atenção a certos procedimentos.

Para o gerente de Atendimento da Tray Corp, uma gestão de e-commerce eficiente deve ser compartilhada. Sendo assim, ele ressalta a importância de contar com uma equipe para controlar os pontos principais.

“O e-commerce, em si, não é algo complicado, entretanto, o lojista deve ter ciência de que existem exigências importantes para que se atinja a eficiência. São vários os envolvidos na operação e, dificilmente, o lojista conseguirá fazer tudo sozinho”, completa.

Separamos, a seguir, alguns processos da gestão, de acordo com três pontos considerados essenciais por Rafael. “Absolutamente tudo girará em torno deles. Eles precisam convergir para existir sucesso no negócio”, afirma.

Produto

É essencial ter alguém responsável por essa parte, que envolve tarefas como compras, cadastro e divulgações. Se existir a viabilidade de ter uma pessoa para cada atividade, mais chances de produtividade no processo, visto que são demandas diferentes.

Por exemplo, na divulgação, têm-se nas estratégias de e-commerce o marketing digital, a aplicação de SEO, os anúncios e a criação de conteúdos. Aqui, é preciso ter em mente que o consumidor analisará o produto e tomará sua decisão, de acordo com o que ele vê pela tela do computador ou smartphone.

Por isso, Rafael considera que “o lojista deve dar atenção à criação de um layout que valorize o produto, propiciando a ele mais destaque, de modo que o consumidor tenha o desejo de comprá-lo”.

Ainda com relação a esse ponto, vale avaliar os locais em que os produtos serão ofertados. “É necessário analisar se o produto terá compradores nos marketplaces, por exemplo. Se sim, é fundamental adicioná-los aos canais de venda. Ou seja, a definição dos canais de venda é resultante do público-alvo e tem tudo a ver com o produto”, acrescenta o gerente de Atendimento da Tray Corp.

Frete

Também é importante uma equipe com pessoas especialistas em logística, já que o foco é no envio, com as melhores opções de entrega. Nisso, é crucial analisar diversas características, que vão desde distância, trajeto e quantidade de entregas na mesma localidade, até o peso e o tamanho do produto. Pode-se adicionar, nesse ponto, o atendimento ao cliente, já que grande parte da demanda se refere à entrega da encomenda.

“O frete é um assunto relevante para o sucesso nos resultados. É preciso ponderar a agilidade do envio ao comprador com os custos ao lojista. Nesse caso, vale a pena pensar fora da casinha, pois, se por um lado temos uma solução nacional muito difundida, que são os Correios, por outro, há possibilidades como motoboy e entregas rápidas, que também atendem bem”, considera Rafael.

O frete, inclusive, é avaliado pelo cliente, no momento da aquisição. É preciso considerá-lo na hora de precificar os itens, buscando sempre um equilíbrio no valor. Ou seja, pode não adiantar ter produtos com um preço em conta, se o frete contribuir para o encarecimento.

Pagamento

Esse ponto também envolve processos capazes de impactar o lucro do negócio. Por isso, da mesma forma, é recomendado ter especialistas responsáveis por ele, que ficarão encarregados de conciliação financeira, contábil, rentabilidade, entre outras demandas.

“Aqui, cabe uma equipe ou a contratação de uma agência de fullcommerce, que se torna responsável pela operação. Ter uma conciliação financeira adequada minimiza o esforço em tarefas repetitivas. Muitas vezes, é melhor que o lojista tenha parceiros que ofereçam praticidade do que, necessariamente, a melhor taxa”, opina o especialista.

Mais um detalhe que não pode ser deixado de lado na gestão do e-commerce é referente às soluções oferecidas no pagamento, pois isso influencia a decisão de compra. Elas podem ser escolhidas de acordo com o público-alvo no negócio, mas, em geral, ter várias opções é algo valorizado pelo consumidor.

“A taxa do parceiro financeiro é importante, no entanto, a variedade de soluções que ele apresenta também. Dessa forma, é recomendado ter atenção a essa questão, que pode envolver possibilidades como parcelamento no cartão, boleto bancário, PIX etc”, completa Rafael.

Como a Tray Corp pode ajudar?

A Tray Corp é uma plataforma de e-commerce customizável e adaptada a todos os tipos de lojas virtuais. Além disso, tem à disposição especialistas em gestão de e-commerce, oferecendo, assim, não apenas a solução, mas todo o background para vender online.

Rafael acrescenta, ainda, outros diferenciais: “com treinamentos, artigos, materiais de apoio, seções tira-dúvidas, consultores de sucesso do cliente, o lojista conta com uma gama de serviços focados em performance. Além disso, a Tray Corp tem uma lista de parceiros — agências —, que fazem acompanhamento focado em performance, contando com planos de sustentação, visando à rentabilidade e ao incremento de vendas”.

Enfim, é esperado lidar com dificuldades na administração do negócio, no entanto, ao destinar a atenção aos principais pontos, os desafios podem ser superados. Uma boa gestão de e-commerce é plenamente possível, como visto ao longo do texto, por isso, leve a sério as dicas apresentadas.



Tray Corp

Tray Corp

Parte do Grupo Locaweb e integrante da divisão corporativa da Tray, a Tray Corp oferece por meio da tecnologia FBITS uma plataforma de e-commerce personalizada, integrada e escalável, o que faz dela a opção definitiva para sua loja virtual.